A RME apresenta mais um estonteante produto!
No seguimento do sucesso do seu ADI-2 PRO a marca lança agora uma versão mais acessível com, entre outras diferença, apenas outputs daí ser apelidada de DAC (Digital to Analogue Converter). 
A qualidade da conversão é exactamente a mesma mas perdemos as duas entradas analógicas! Temos apesar de tudo entradas Digitais (até porque não implicam conversores) em SPdif Coaxial e Óptico (ou ADAT).
Por incrível que pareça esta placa consegue mesmo ser superior em alguns pontos á ADI-2 Pro!
Mas o que é este aparelho? E a quem se destina?
Qualquer pessoa que valorize a qualidade sonora em absoluto!
Por exemplo audiófilos, técnicos que necessite de promover testes e medições audio.
 
Muitos perguntarão, e para um produtor?
Se não necessitar de gravar ou se tiver outro interface com que o possa fazer, então esta peça é altamente recomendada! A qualidade, definição e clareza absoluta de tudo o que reproduz torna-a particularmente dedicada a funções de mistura, Masterização. Claro que temos todas as características conhecidas dos drivers RME, como latências mínimas e estabilidade imperturbável mesmo trabalhando 24:7.
Tal é o nível de detalhe que um cliente muito interessado será sem dúvida o Audiófilo, que muitas vezes adquire a sua música em formatos digitais de altíssima qualidade como por exemplo 192Khz 24 Bits Stereo, ou mesmo em DSD para evitar as limitações da convencional conversão PCM mesmo a 24bits 192Khz.
Acresce que é uma unidade extremamente bonita, elegante e Portátil podendo facilmente acompanhar o Técnico ou Engenheiro (ou “simples” entusiasta) para onde o mesmo tiver de se deslocar (em trabalho ou Lazer).
 
Podíamos ficar por aqui, ou seja, temos um interface audio com as entradas descritas, saídas balanceadas em XLR e não balanceadas em RCA. Na frente temos saída para auscultadores com um Jack (fêmea) TRS 1/4 polegadas, mas também outro em 1/8 de polegada!
No entanto, os toques de requinte e qualidade ainda nem começaram! 
Primeiro temos que a saída de auscultadores é uma saída com o seu próprio conversor e com “garra”, com sinal extremamente forte, mais forte do que inclusive já é comum nos mais recentes produtos da marca! Capaz de alimentar correctamente qualquer tipo de auscultadores, e tanta gente desconhece a diferença sonora de uma boa saída de auscultadores, por vezes até pessoas com preocupações com a “linearidade” dos mesmos!?
Já na saída de Mini-Jack temos algo muito especial! O amplificador da mesma (diferente do amp da outra saída de auscultadores) foi especialmente desenhado para “atacar” auscultadores In Ear (IEM - In Ear Monitoring), como assim? perguntam vocês, e muito bem.
Os auscultadores de introduzir nos ouvidos (in-ear) são extremamente sensíveis e operam a voltagens muito baixas, como consequência inadvertidamente tornam evidente o ruído base do leitor (noise floor), não é de todo este o caso do ADI-2 DAC, visto esta saída ter inclusivamente -10dB de noise floor que a outra, especificamente para que não haja qualquer tipo de problemas. Esta saída IEM tem uma impedância próximo dos 0Hms e com THD que atinge recordes.
 
Neste pequeno aparelho de meia rack temos 3 encoder com click e 4 botões que permitem controlar e configurar tudo com a ajuda de um detalhado painel gráfico IPS de elevada resolução.
MAS não ficamos de todo por aqui: Também o processamento da unidade foi refinado pelo que temos “on board” visualização de níveis de Peak, un analisador de sinal de 30 bandas, Equalizador paramétrico de 5 bandas, controlo de bass, treble e high, Visualização de estado USB/ SPdif e Clock, e ainda simulação de crossfeed de monição (a sensação que temos quando ouvimos dois monitores, esquerda-direita, em que também o esquerdo chega ao lado direito e vice-versa, simulando a escuta real de uns monitores e a sua capacidade de criar um campo estéreo).
….e ainda…
Um controlo remoto que permite operar todas as funções de volume, on/ off, Mute, qual a entrada selecionada e ainda 4 botões que podemos configurar ao nosso gosto de um conjunto de 20 possibilidades de funções.
 
A elegância é extensiva inclusive á iluminação pelo modo AutoDark que desliga toda a iluminação ao fim de 10s, se estiver activada a referida função claro.
Não poderíamos terminar esta notícia sem fazer notar que este DAC funciona entre 32Khz e uns “impossíveis” 786Khz e é capaz da reprodução de DSD. 
Já a conhecida e muito reverenciada tecnologia Steady Clock foi melhorada ao ponto de reduzir o próprio Jitter, estamos a falar de uma precisão que normalmente só se encontram em unidades usadas como clock masters de sistemas realmente profissionais como em estúdios High End.
USB2.0 compatível com 3.0 e modo class compliant para MAC, PC e iOS